11 agosto 2006

Kill Bill by Quentin Tarantino (2003/2004)

Cá vai mais uma pedrada no charco... mais uma obra-prima de um dos grandes mestres do cinema actual... Quentin Tarantino!!! Diz-se que por imposições puramente comerciais, Tarantino foi forçado a dividir em dois o seu projecto, no entanto, eu aqui no blog vou tratar este filme como um só... afinal faz todo o sentido que assim seja.

Kill Bill é um daqueles filmes que divide opiniões... ou se adora ou se detesta... e aqueles que dizem: "... sim gostei..."; na realidade eu sei que não gostaram nada!!! Eu pessoalmente quando fui vê-lo já sabia ao que ia... se analizarmos bem as anteriores obras de Tarantino percebemos que Kill Bill não foge à regra: diálogos hilariantes e picantes, argumento bem distinto de tudo o que normalmente nos é oferecido, acção... muita acção, sangue em doses super-menú e por fim, diálogos hilariantes... ah! é verdade... falta uma coisa que também distingue os filmes de Quentin Tarantino: histórias com objectivo, coerência acima de tudo!!!

Neste filme Tarantino conta-nos uma história de vingança... The Bride (Uma Thurman) quer vingar-se de Bill (David Carradine) e tudo fará para consumar essa vingança. Pelo caminho encontra-se com todos os que, juntamente com Bill, foram responsáveis pelo seu estado de ira e vai eliminá-los um a um... cada um com o seu grau de dificuldade.

Terminado o parágrafo anterior, se houver alguém a ler este post que ainda não tenha experimentado Kill Bill certamente pensará... "hummm parece-me uma história muito hollywodesca"... e é!!! O que faz deste filme um grande filme não é a história mas sim como nos é contada... Tarantino emprega todo o seu estilo de realização e transforma histórias simples, carregadas de clichés, em horas de puro entretenimento. Analisemos agora algo que sustenta o que acabei de escrever: o título do filme. Já repararam que o título do filme diz tudo... Kill Bill!!! É como se em "The Others" o título fosse: "Os outros, que afinal são a mãe e os dois filhos mais os empregados". A questão é que Tarantino não faz, ou pelo menos nunca fez filmes que pretendam transmitir esse efeito surpresa aos espectadores... Tarantino surpreende-nos pela forma como nos conta as histórias, pela forma irrepreensível como contrói os argumentos e pela forma como filma.

Em Kill Bill, Tarantino mostra-nos a sua paixão pelo cinema asiático... Kill Bill está carregado de referências aos típicos filmes categorizados por: swordplay, tipo "Heróis de Shao Lin", e Martial Arts, tipo Bruce Lee!

Trivia: * Tarantino adiou o início das filmagens devido à gravidez de Uma Thurman.

*Tarantino ofereceu o guião do filme e o personagem de The Bride a Uma Thurman como prenda pelo seu 30º aniversário.

* O fato amarelo que The Bride enverga é inspirado num fato que Bruce Lee usou em Game of Death (1978).

* Para que o filme tivesse um look de cinema asiático de artes marciais dos anos 70, Tarantino ofereceu ao director de fotografia uma extensiva lista de filmes do género dos anos 70. Tarantino proibiu também o uso de efeitos digitais e insistiu que o sangue derramado fosse feito como naquela altura: preservativos cheios de sangue falso que espirraria com o impacto.

* Tarantino revelou posteriormente numa entrevista que toda a música usada no filme era na realidade parte da sua colecção de música, todas elas já presentes em filmes anteriormente.

* No restaurante The Bride mata 57 pessoas.

* A produção gastou mais de 65.000 dólares em espadas.

* Na cena em que Gogo balanceia a sua bola de aço, ela acidentalmente atingiu Tarantino, enquanto este filmava a cena.

Bom, tal como já foi aqui referido, eu pessoalmente adorei o(s) filme(s)... não consigo sequer dizer de qual dois dois volumes gostei mais... portanto: 9,5/10... Tarantino é fenomenal!!!

Vol. 1&2:

2 comentários:

rosa disse...

palavras pra quê? diversão pura!

toztamizta disse...

A loucura! Muito humor, energia, criatividade! Uma tarantada!