14 dezembro 2006

Hable con Ella by Pedro Almodóvar (2002)



I'm back (estou de volta, para os menos versáteis)!!! E que regresso... vou apresentar-vos um dos meus realizadores de eleição, daqueles que realizam filmes que quando introduzimos o DVD na drive ou quando estamos na fila para comprar pipocas, sentimos aquela ansiedade... como quem está para ser PAI!!! (lololol, agora achei graça a mim próprio, o que é raríssimo...)

Falo-vos de Pedro Almodóvar, o Senhor que nos ofereceu "películas" como: "Hable con Ella"(2002), "Todo sobre mi Madre"(1999), "Carne Trémula"(1997), "Átame"(1990), "Tacones Lejanos"(1991), "La mala Educación"(2004)... etc... e que mais recentemente nos presenteou com: "Volver"(2006)!!!

Pedro Almodóvar é mesmo um grande Homem-Cinema, como alguns outros que vos irei apresentar brevemente. De todas as "películas" de Almodóvar a que mais tempo ficou(está) na minha memória é "Hable con Ella". É um daqueles filmes que nos prendem à tela do princípio ao fim, daqueles que nos dão aquela sensação estranha de não querer que o filme chege ao fim, aquela sensção de entretenimento levada ao seu expoente máximo. Há quem pense que entretenimento em cinema é ver comédias "hollywoodescas" daquelas de que os video-clubes estão cheios, sem o mínimo traço narrativo, daquelas que nos fazem rir (as que fazem) pontualmente mas sem nos enriquecer minimamente!!! Confesso: DETESTO FILMES ASSIM... para mim isso é brincar ao CINEMA, é aproveitar a falta de recursos que algumas pessoas podem ter para poderem efectivamente ESCOLHER o que querem ver!!! É o poder de Hollywood...

Voltando à "película" de Almodóvar, vi "Hable con Ella" em 2003 e tive a oportunidade de alugar o DVD num dos melhores Vídeo-clubes que conheço... daqueles em que podemos escolher filmes "refrescantes", filmes de conceito Independente, os chamados Filmes de Autor. Foi daí que vieram muitos dos filmes que vão enchendo este meu cantinho virtual. Em "Fala com ela" seguimos a história de dois homens cujos caminhos se cruzam numa clínica privada em que um deles (Benigno) (Javier Cámara) trabalha como enfermeiro. Marco (Darío Grandinetti) vê a sua namorada, uma toureira profissional, ser colhida por um touro e entrar num estado de coma profundo, tendo de ser internada na clínica onde trabalha Benigno. Este, por sua vez, trata de forma muito pessoal uma outra paciente (Alicia), uma bailarina que devido a um acidente está há quatro anos também num coma profundo, sob os cuidados de Benigno. Ele fala com ela, lê para ela, mostra-lhe fotografias como se ela pudesse ver... mas Benigno acha que quando em coma os pacientes ouvem tudo o que os rodeia e aconselha Marco a fazer o mesmo, na esperança que um Milagre traga Lydia (a toureira) de volta.




As vidas destes dois homens vão-nos sendo apresentadas num desenrolar de acontecimentos alicerçados numa narrativa bem característica dos filmes de Almodóvar, com diálogos e imagens bem arrojadas e sem pudor (aliás, esse é um dos trunfos de Almodóvar, a ausência, quase total de pudor nas obras por ele escritas/realizadas). Como bónus temos Caetano Veloso, a cantar ao vivo numa esplanada por onde Marco passa... Cucurrucucu Paloma!!!!!!!!!!


IMPERDÍVEL: 9/10


2 comentários:

rosa disse...

"que este hombre me pone los pelos em punta" qualquer coisa assim.
;)

toztamizta disse...

Cucurucucu... Almodóvar! Cucurucucu... fantásticooo!