26 junho 2006

Irréversible by Gaspar Noé (2002)

Que filme... "brutal"... daqueles filmes que jamais esqueceremos, grande obra de Gaspar Noé, argentino nascido em Buenos Aires. Interpretação a cargo do casal: Monica Belluci e Vincent Cassel.

Filme duro, de argumento bastante pesado, quando o vi fiquei com aquela sensação de raiva misturada com tristeza e impotência, impotência perante acontecimentos factuais que de certo, enquanto eu via o filme, aconteciam algures no mundo situações idênticas.

Aluguei este filme num dia de férias à noite, numa noite quente de Agosto de 2003... nunca tinha ouvido falar do filme, mas a capa despertou-me a atenção, tudo escrito ao contrário, sinopse, ficha técnica, tudo!!! Alguns símbolos de festivais em que foi premiado ou mencionado... pensei: "é mesmo este.." e assim foi, assim que começou senti que estava perante algo que nunca tinha visto, Gaspar Noé foi pioneiro numa forma diferente de filmar que chega até a criar-nos uma sensação de desconforto permanente nos primeiros minutos do filme. Entretanto a história começa a desenlorar-se e aí sim tive a certeza que estava perante algo muito sério, puro trabalho de Autor... tudo o que ali estava parecia-me saído da cabeça de alguém que não teve quaisquer limitações à sua imaginação e criatividade.

A história passa-se numa noite traumática de Paris, sendo que os acontecimentos nos são apresentados em sentido cronologicamente inverso!!! Dois homens em perfeito estado de ira procuram a todo o custo o(s) responsável(eis) por algo que nem me atrevo a divulgar (tirava alguma essência ao filme).

Trivia: * A maior parte do argumento do filme não estava escrita, pelo que os diálogos fluíram de improviso.
* Este filme foi o filme em que mais pessoas saíram da sala durante a sua projecção, no ano de 2002.
* Os primeiros trinta minutos do filme têm um som de fundo de 28hz (baixa frequência, quase inaudível) similar ao ruído provocado por um terramoto. Nos humanos este ruído causa náuseas, enjoos e até vertigens, esta foi a primeira causa do abondono prematuro de algumas pessoas, mas não só...

Quando acabei de ver este filme fiquei durante alguns minutos pregado à cadeira, aliás sofá... ali sentado sem reacção, sem saber o que pensar ou o que fazer... como se pudesse fazer algo para mudar o curso da história ou mesmo do mundo!

Por tudo isto: 8.7/10... o melhor do género!!!

4 comentários:

rosa disse...

é o meu preferido.... um dos...lindo, sabes pq? tem um "final" ;) delicioso...

rosa disse...

10 pontos! oras...

rosa disse...

hummm achei interessante essa história do som de fundo... mas eu nao saí, aguentei até ao fim e valeu a pena! fantabulástico!

tostamista disse...

Ora, o filme é efectivamente BRUTAL. Mas, devo dizer-vos, caros visitantes, que, ao saberem que este filme é brutal, ele deixará de ser tão brutal como de facto é. A verdade brutal é que, ao serem informados da brutalidade do filme, acabam por não se sentirem tão brutalmente brutalizados. Foi o que aconteceu comigo, o Trini e outras personagens da vida airada, tal como a Rosa, falaram-me tanto do filme e utilizaram tão brutalmente o termo brutal que eu acabei por não me sentir tão brutalizada... Mas o filme é brutal, sem dúvida. Brutal!